Dieta Mediterrânea para emagrecer e perder barriga


Veja como fazer o passo a passo da Dieta Mediterrânea e emagrecer com nossos cardápios e receitas!









Tão importante quanto cuidar daqueles que amamos é cuidar de nós mesmos.
Para isso, já se sabe a grande necessidade da adoção de uma rotina regular de exercícios físicos orientada por um profissional e educador físico e a adoção de um plano de dieta, que vise controlar o peso e a porcentagem de gordura corporal.
É muito importante dizer que não se trata apenas de fatores estéticos.
É claro que é muito gratificante olhar no espelho e enxergar o físico tão desejado por você, mas acima de tudo devemos prezar pela nossa saúde.
Manter baixos níveis de gordura corporal irão prevenir o surgimento de várias doenças cardíacas como Infarto Agudo do Miocárdio e também outras doenças ligadas à obesidade, como diabetes e alterações da pressão arterial.
Pensando nisso, nesse artigo em específico falaremos um pouco mais sobre a Dieta Mediterrânea, uma modalidade de dieta que tem se tornado cada vez mais popular entre os praticantes – não à toa foi alvo de matérias do Globo Repórter, além de haver livros de receitas (disponível na versão eletrônica em pdf) e filmes sobre ela.
Se até aqui você já gostou da ideia, prepare-se: especialistas apontam que esta dieta é uma das mais eficazes na prevenção de doenças que acometem o nosso sistema circulatório, como infartos e AVEs (Acidentes Vasculares Encefálicos – conhecidos popularmente como derrame).
Por isso, a dieta mediterrânea acima de tudo pode ser vista como um estilo de vida, e não uma dieta realizada por apenas 1 mês.
Você deve estar se perguntando: porque a dieta se chama dieta mediterrânea?
Como o próprio nome sugere, a dieta mediterrânea é uma modalidade de dieta cujo cardápio é constituído principalmente por alimentos que em geral são consumidos nos países com praias no mar mediterrâneo, como Espanha, Egito, Grécia, Itália, Marrocos, Líbia , Turquia, Croácia e Chipre.
Interessante é que embora hajam grandes disparidades socioeconômicas e culturais em relação à esses países, por estarem situados geograficamente em regiões muito próximas, compartilham muitas culturas e hábitos alimentícios.
Nesses países, a alimentação é bastante rica e diversificada. Nessa dieta, serão utilizados alimentos naturais e haverá uma restrição quanto aos alimentos industrializados.
O motivo é óbvio: em geral, os alimentos industrializados contém proporcionalmente mais sódio, mais gorduras,mais açúcar, mais realçadores de sabor e mais conservantes, sendo proporcionalmente mais calóricos e prejudiciais ao bom funcionamento do organismo.
Haverá o consumo preferencialmente de frutas, verduras, legumes, sementes, laticínios, peixes, vinho e azeite.
Em posse desses alimentos principais, você pode, com um pouco mais de pesquisa, elaborar seu próprio cardápio semanal.

     Azeite


Você pode estar pensando que o azeite não deixa de ser gordura e por isso faz mal ao coração.
Não é verdade.
O azeite compõe o grupo das chamadas “gorduras boas”, moléculas que são essenciais para o bom funcionamento do organismo.
Protege o sistema circulatório de doenças e são essenciais em algumas reações metabólicas.
Além disso, o azeite possui substâncias com propriedades antioxidantes.
Nessa dieta, o azeite será utilizado em substituição ao óleo vegetal (de soja, milho e outros) e à manteiga ou margarina.
Por isso, para temperar as saladas ou grelhar o peixe, por exemplo, utilize sempre o azeite.

Verduras e legumes

Há um consenso sobre o bem estar que uma alimentação rica em verduras e legumes frescos proporciona.
Esses alimentos são fontes de nutrientes essenciais, como proteínas, carboidratos e também vitaminas e minerais, além de possuírem substâncias com propriedades antioxidantes.
Além disso, contém grandes quantidades de fibras, que em contato com a água incham e promovem uma sensação de saciedade.
Devem ser consumidos preferencialmente frescos, em forma de salada e temperados com ervas naturais e azeite.

Peixes

Os peixes são grandes fontes saudáveis de proteínas.
Possuem pouco ou quase nada de carboidrato (açúcar) e o mais especial desse tipo de carne é a gordura.
A grande maioria dos peixes contém gorduras boas, que irão proteger o seu corpo de doenças ligadas ao sistema circulatório.
Dê preferência para peixes como pescada (no Brasil, encontradas sob a variedade de pescada branca e pescada do sul), tilápia (também conhecida como Saint-Peter), salmão e sardinha.
Cabe uma observação bastante importante aqui: atente-se ao modo de preparo dos peixes.
Opte preferencialmente por prepará-los grelhados ou ao forno, acompanhados de azeite.
Não empane e frite esses peixes, pois você estará consumindo grande quantidade de gorduras ruins.
Uma pergunta frequente é: o peixe será a única fonte de proteína? E a carne, o frango?
Vegetais e legumes também tem grande quantidade de proteína.
Nessa dieta em específico, a carne vermelha e o frango ficam como elementos secundários, podendo serem consumidos eventualmente.

Vinho tinto


O vinho é uma bebida muito consumida na região mediterrânea e não só por isso faz parte da dieta.
Esse mosto fermentado da uva é muito poderoso para sua saúde.
Medidas de 1 taça por dia de vinho melhoram o funcionamento do organismo, pois o vinho possui substâncias antioxidantes e rejuvenescedoras (resveratrol).
Não abuse do vinho; ainda que tenha substâncias benéficas ao corpo, é uma bebida alcoólica e pode causar danos ao seu sistema hepático e ao seu bem estar social.
Além disso, bebidas alcoólicas são calóricas.

Frutas

Também já se sabe que o consumo de frutas contribui com o bem estar do seu corpo.
Primeiro em relação às frutas carnosas: são boas fontes de fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes
Conhecedores do assunto dizem que algumas frutas como abacate e banana são bastante calóricas, então opte por frutas como maçã, pera e ameixa.
Fique atento à higienização dessas frutas.
Em relação às frutas secas (castanhas, nozes, amendoim): são fontes de gorduras boas e que contribuem com o aumento do colesterol bom (HDL), ricas em fibras e muito saborosas!
Só não abuse das frutas secas, pois por conterem grande quantidade de gorduras, são bastante calóricas.
O ideal é consumir entre quinze e vinte gramas de frutas secas por dia.

Leite e seus derivados

O leite é um alimento bastante completo, rico em cálcio e em proteínas, assim como seus derivados.
Podem ser consumidos, mas com um porém: prefira sempre a variedade sem gorduras, comumente vendidas como “desnatados”.
Vale uma outra dica: quanto mais amarelo o queijo, maior a porcentagem de gordura que ele contém.
Então, prefira sempre os queijos mais brancos como queijo minas frescal, queijo cotagge e queijo ricota.
Você pode consumir esses alimentos em associação com outros que compõe a dieta, como iogurte com nozes ou leite batido com alguma fruta.
Dúvidas e sugestões podem deixar nos comentários!
Postagem mais recente Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

Postar um comentário